81 3019 9167 - Whatsapp 81 9 9240 4986 [email protected]

IMG-20150706-WA0001

Os dias modernos vêm impondo diversas mudanças no modo de viver, agir e pensar da sociedade. E o ato de brincar não está longe disso, tem se tornado algo eletrônico e banalizado, onde o contato entre as crianças é deixado de lado. O brincar é extremamente importante para o desenvolvimento da criança. É através da brincadeira do simbólico que a criança entra em contato com suas fantasias e pode, assim, externalizar seus medos, angústias, desejos, raivas, alegrias, ou seja, seus sentimentos.

O relacionamento criança-criança, criança-adultos e criança-objeto é algo extremamente importante para o desenvolvimento da criança, pois é a partir da relação que o sujeito se diferencia do outro e se reconhece na sua singularidade.

Na brincadeira não é diferente. É nela, que uma criança se aproxima ou se afasta do outro. Inicialmente, ela brinca sozinha ou manipula brinquedos, só depois o infante vai socializando e buscando o outro para brincar, permitindo assim o processo de troca entre seus pares. Desta forma, a criança desenvolve a aprendizagem de novos conhecimentos, já que este ato propicia o pensar, o agir, o acolher, o escolher, o nomear, o criar, o deduzir, o fantasiar, além das frustrações e experimentações.

Desta forma, é importante refletir sobre o não-brincar. A falta desta prática contribui na formação de um sujeito rígido, ou até mesmo, de uma criança adultizada, onde as responsabilidades e a seriedade antecipada não permitem os sonhos de criança.

Dito isto, é de suma relevância a passagem por todas as etapas do desenvolvimento físico, cognitivo, social e emocional. A brincadeira possibilita para a criança, o falar corporal do adulto.

Então por que não experimentar cair na brincadeira com seus filhos?

Quem sabe até voltar um pouco no tempo e se sentir novamente aos cinco, oito ou doze anos?

Fazendo isto, a relação com os seus filhos se tornará mais próxima e acolhedora, ajudando à conhecê-los melhor e também se auto-avaliar nesta relação pais-filhos. Este momento pode acontecer de várias formas, e vocês podem encontrar este ponto de partida através de desenhos ou contação de histórias.

Lembrem-se sempre: a criança precisa Brincar! Então, pais, que tal começar?

captura-11Rafaella Brito

CRP: 02/14627
[email protected]